Oudtshoorn: Cango Caves, a atração turística mais antiga da África do Sul

Oudtshoorn, na região de Klein Karoo, África do Sul – Foto: Fábio Paschoal

Capítulo 1 da série Rota Jardim / Garden Route: 5 dias pelo litoral da África do Sul

O caminho mais usado para quem sai da Cidade do Cabo para fazer a Rota Jardim (Garden Route) é pegar a estrada N2, que é bastante movimentada. Decidimos fazer diferente e fomos pela rota R62 em direção à Little Karoo, também conhecida como Klein Karoo. Além da viagem ser mais curta, as paisagens são mais bonitas.

[Veja a introdução da série Rota Jardim /Garden Route: 5 dias pelo litoral da África do Sul]

[Veja a série Kruger: guia prático para organizar seu safári na África do Sul]

Southern red bishop/ Cardeal-tecelão-vermelho (Euplectes orix). O macho trança fibras de folhas para fazer o ninho. A fêmea irá analisar e, geralmente, desfaz o trabalho de seu pretendente. Após várias tentativas ela permite o acasalamento – Foto: Fábio Paschoal

As montanhas formam uma barreira que para o ar úmido e transforma o Klein Karoo em uma área de paisagens desérticas, rodeada por penhascos e cortada por riachos de água cristalina.É uma das regiões mais diversificadas de Western Cape.

Nosso destino era Oudtshoorn, cidade conhecida como a capital mundial do avestruz e com um nome impossível de ser pronunciado (pelo menos para Vanessa e eu). Várias fazendas oferecem passeios para conhecer o processo de criação. Você pode alimentar e até montar uma das aves. Como somos contra o turismo que maltrata os animais, decidimos não fazer.

Outra atração que parecia bem legal era a observação de suricatos selvagens. Ficamos interessados, mas como tentamos de última hora não conseguimos vaga.

Cango Caves

Uma das principais câmaras do sistema de Caverna Cango Caves – Foto: Fábio Paschoal

Sistema de Cavernas Cango Caves, em Oudtshoorn, África do Sul – Foto: Fábio Paschoal

Estalactites e colunas em uma das galerias das Cango Caves, em Oudtshoorn, África do Sul – Fábio Paschoal

O grande motivo de termos escolhido Oudtshoorn eram as Cango Caves, uma rede de cavernas de calcário considerada a atração turística mais antiga da África do Sul por ser a primeira protegida pela legislação ambiental e a primeira a contratar um guia de turismo no país.

O sistema de túneis e cavernas tem mais de 4 quilômetros, mas apenas 1/4 é aberta à visitação. Existem duas opções de passeio, o standard leva cerca de uma hora e meia e passa pelas câmeras principais. O Adventure Tour leva 3 horas, passa pelo mesmo caminho do standard e depois começa a explorar passagens estreitas onde é preciso rastejar.

Como nossas mochilas estavam cheias, optamos pelo standard e gostamos bastante. Mesmo com 300 pessoas no passeio, as galerias eram bem grandes e nossa guia era muito boa.

Eu e Vanessa nas Cango Caves – Foto: Fábio Paschoal

No entanto, o destaque de Oudtshoorn foi a hospedagem.

Old Mill Lodge & Restaurant

Tendas do Old Mill Lodge & Restaurant, em Oudtshoorn, África do Sul – Foto: Fábio Paschoal

Old Mill Lodge & Restaurant é uma antiga fazenda de avestruz que foi transformada em hotel. Existem acomodações diferentes, mas as tendas certamente são as mais legais e recomendamos fortemente! Além de confortáveis, têm banheiro com água quente, cobertor elétrico para suportar as noites frias e uma varanda com uma vista incrível de um pequeno riacho cheio de passarinhos. Pagamos 915 Rands por uma noite, para duas pessoas e gostamos bastante.

O restaurante é a la carte e tem um clima de velho oeste dos Estados Unidos. A recomendação da casa são pratos com avestruz e carne de veado. Os legumes são orgânicos e tudo é plantado e colhido no hotel/fazenda.

Dentro da nossa tenta do Old Mill Lodge & Restaurant, em Oudtshoorn, África do Sul – Foto: Fábio Paschoal

Malachite kingfisher (Corythornis cristatus), uma das aves mais incríveis da viagem – Foto: Fábio Paschoal

Na primeira manhã saí mais cedo para passarinhar. Nem tinha chegado na varanda e vi uma ave com azul brilhante e bico vermelho. Não tive dúvida! Comecei a chamar a Vanessa. “Linda! Linda! Linda!” Era um malachite kingfisher! Que ave sensacional!

Logo depois vimos um african hoopoe. Southern red bishop, com seu laranja incrível, e southern masked weaver estavam fazendo ninhos nas taboas, planta do gênero Typha que se parece com uma salsicha enfiada no espeto e que são utilizadas como snorkel em desenhos animados quando algum personagem se joga no rio para se esconder das abelhas.

Deu vontade de ficar mais no Old Mill Lodge & Restaurant, mas era hora continuar a viagem e seguir para Wilderness.

Veja o capítulo 2 da série Rota Jardim/ Garden Route: 5 dias pelo litoral da África do Sul

Veja o Roteiro: 20 dias na África do Sul de carro

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s