Floreana: santuário de tartarugas marinhas

Galápagos é um dos lugares de maior concentração de tartarugas-verdes-do-pacífico (Chelonia mydas). Elas utilizam as ilhas para cavar buracos e enterrar seus ovos. Os locais de desova são demarcados com bastões para que os turistas não destruam a futura geração de filhotes - Foto: Fábio Paschoal

Tartaruga-verde-do-pacífico (Chelonia mydas) – Foto: Fábio Paschoal

Capítulo 5 da série Galápagos: Ilhas Encantadas

Galápagos é um dos lugares de maior concentração de tartarugas-verdes-do-pacífico. Elas utilizam as ilhas para cavar buracos e fazer ninhos. Os locais de desova são demarcados com bastões para que os turistas não destruam a futura geração de filhotes. Infelizmente, a coleta ilegal de ovos, a pesca predatória e a poluição coloca a espécie na categoria ameaçada na Lista Vermelha da IUCN (União Internacional para a Conservação da Natureza, na sigla em inglês).

[Veja a introdução e o sumário da série Galápagos: Ilhas Encantadas]

[Veja o capítulo 4 da série Galápagos: Ilhas Encantadas]

Praia com olivina em Cormorant Point, Floreana, Galápagos - Foto: Fábio Paschoal

Praia com olivina em Cormorant Point, Floreana, Galápagos – Foto: Fábio Paschoal

Desembarcamos em uma praia rica em olivina – cristais vulcânicos compostos por alumínio, sílica, magnésio e ferro que dão uma cor esverdeada à areia. Estávamos em Cormorant Point, na ilha de Floreana, e o nosso objetivo era achar as tartarugas-verdes-do-pacífico.

Começamos a trilha passando por uma lagoa de água salgada onde um solitário flamingo perambulava em busca de alimento. Nas rochas, lagartos-de-lava, endêmicos do arquipélago, se esquentavam no sol da manhã.

Lagoa de água salgada em Floreana, Galápagos - Foto: Fábio Paschoal

Lagoa de água salgada em Floreana, Galápagos – Foto: Fábio Paschoal

Lagarto-de-lava (Microlophus sp.) - Foto: Fábio Paschoal

Lagarto-de-lava (Microlophus sp.) – Foto: Fábio Paschoal

Passamos por uma pequena colina e chegamos em outra praia. De areia branquinha, foi formada a partir de restos de esqueletos de foraminíferos, algas, moluscos, crustáceos e corais. Pegadas deixadas na areia levavam até uma parte mais elevada. Indy, nossa guia, explicou que não poderíamos andar naquela área demarcada porque aquele era o mais importante local de desova das tartarugas-verdes-do-pacífico em Galápagos. A espécie é a única tartaruga marinha que se reproduz no arquipélago. Aquelas impressões eram de uma mãe, que havia desovado ali na noite anterior.

Praia de areia branca em Floreana, Galápagos - Foto: Fábio Paschoal

Praia de areia branca em Floreana, Galápagos – Foto: Fábio Paschoal

Rastros de tartaruga - Foto: Fábio Paschoal

Rastros de tartaruga – Foto: Fábio Paschoal

Entre dezembro e junho as fêmeas visitam as praias, sempre à noite, para desovar. Elas colocam entre 50 e 80 ovos em um buraco escavado na areia. Se a temperatura dos ovos ficar acima de 30°C os filhotes serão fêmeas. Abaixo de 30°C os pequenos serão machos.

Continuamos andando pela praia, observando aves migratórias que dividiam o litoral com caranguejos escarlates. Enquanto isso, um casal de tartarugas marinhas acasalava em alto mar pensando em usar o berçário atrás de nós em um futuro bem próximo.

Entre as iguanas-marinhas e as rochas negras da arrebentação vive o caranguejo mais colorido de Galápagos. Com pernas e garras escarlates, barriga azul e costas alaranjadas, o aratu-vermelho (Grapsus grapsus) é uma espécie que definitivamente chama a atenção de quem visita o arquipélago - Foto: Fábio Paschoal

Entre as iguanas-marinhas e as rochas negras da arrebentação vive o caranguejo mais colorido de Galápagos. Com pernas e garras escarlates, barriga azul e costas alaranjadas, o aratu-vermelho (Grapsus grapsus) é uma espécie que definitivamente chama a atenção de quem visita o arquipélago – Foto: Fábio Paschoal

Vira Pedras (Arenaria interpres) - Foto: Fábio Paschoal

Vira-pedras (Arenaria interpres) – Foto: Fábio Paschoal

Voltamos para a praia de areia verde. Era hora do mergulho! Colocamos o equipamento e entramos na água. O mar estava um pouco agitado e turvo. Mergulhei procurando por peixes de diferentes formas e cores quando ouvi um som semelhante a um latido. De repente, um leão-marinho-de-galápagos apareceu na minha frente! Ele não mostrou sinais de agressividade, mas achei melhor me afastar um pouco. Leões marinhos são territorialistas e defendem sua praia contra outros machos para garantir o direito de acasalar com as fêmeas. Mas aquele estava tranquilo e acompanhou nosso grupo como se fosse um de nós.

O leões-marinho-de-galápagos macho pode chegar a pesar 250 kg e é bem maior que a fêmea - Foto: Fábio Paschoal

O leão-marinho-de-galápagos macho pode chegar a pesar 250 kg e é bem maior que a fêmea – Foto: Fábio Paschoal

Era hora de voltar para o barco e seguir para Española, a ilha mais antiga do arquipélago.  (Veja o capítulo 6 da série Galápagos: Ilhas Encantadas)

DICAS

A trilha que leva até a praia de areia branca, local de desova das tartarugas-verdes-do-pacífico, é praticamente plana e não apresenta maiores dificuldades. Leve o snorkel para mergulhar com leões marinhos, tartarugas marinhas, peixes coloridos e, se você tiver sorte, tubarões-galha-branca-de-recife.

PRINCIPAIS ATRAÇÕES

  • Tartarugas-marinhas-do-pacífico
  • Leões-marinhos-de-galápagos
  • Lago de água salgada que serve de local de alimentação para flamingos
  • Praia de areia verde com cristais de olivina
  • Praia de areia branca formada por restos inorgânicos de animais
Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s